Criando vergonha na cara - Universo Atakima

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Criando vergonha na cara



Faz tempo que não escrevo aqui, certo? Não é porque esqueci desse blog, mas é que a coragem de escrever algo totalmente original (não é desmerecendo meus textos, mas quando se faz resenhas, você não escreve algo totalmente original, você apenas emite uma opinião pessoal sobre algo já escrito de terceiro – seja o livro, o filme, o quadrinho etc).

Não é preguiça (pode até ser), mas a imaginação trava quando se senta na frente do computador para escrever (seja um livro ou uma simples crônica). As ideias surgem em lugares surreais, não é mesmo? Aqueles lugares que você não tem como pegar nem mesmo o celular e escrever. E não adianta repetir mil vezes o que pensou mentalmente, quando você está livre para escrever, simplesmente as coisas somem da sua cabeça como passe de mágica.

As coisas sempre “brotam” na minha cabeça em lugares que não tenho como anotar a ideia que surgiu, é quando estou dirigindo, ou dentro do ônibus (e logo quando está em pé, tendo que se segurar para não cair a cada freada do motorista) e quando está no banho.

Acho que o mais difícil também é mostrar para alguém. Estou agora no curso de Design, algo que estava realmente querendo fazer e nessa segunda tivemos uma palestra com Rafo Castro, designer. Ele disse que não podemos ter medo de mostrar uma criação nossa. Pode até ouvir “está ruim, está uma merda!” mas não podemos deixar de mostrar para as pessoas. É um tipo de exercício.

Não é que eu precisava de um profissional do ramo para dizer algo desse tipo para mim. Eu já tinha isso em mente quando criei o Universo Atakima em 2009: fazer um blog para expor meus textos, mas o medo é algo que sempre toma conta. O medo da critica e da rejeição.

Além de ser insegura com o que eu faço, outro mal muito grande é nunca terminar o que já comecei. É outro exercício que tenho que treinar. E MUITO. Tenho que começar os projetos antes mesmo de começar com o outro. Para ter uma ideia, 2008 criei minha primeira história, e logo na sequencia veio mais outros livros fechando uma trilogia. Pode ver que eu ainda não o lancei. Agora a pergunta é porque? Porque eu tenho medo das pessoas criticarem? De não aceitarem? De estar uma merda?! Nem é por isso. É porque ele nunca saiu do manuscrito original.

Sim, o livro existe deste de 2008 e nunca revisei, inclui, exclui, muito menos passei para o computador. Mas está escrito em mais e mais resmas de papel. Que coisa tão... tão... tão inacabada.

Hoje recebi um tapa na cara invisível de um colega de classe, acho que ele nem sabe que me deu um tapa na cara, mas deu. Percebi que o difícil não é revisar o texto, modificá-lo ou até mesmo publicá-lo, mas é fazer o essencial: começar a escrever e terminar. Isso de revisar e acertar os detalhes é a coisa mais fácil quando se tem o principal (o corpo) feito.

Então, se eu não ir atrás com garra e coragem de fazer o que é difícil, quando é que vai chegar os louros desse trabalho? Nunca. E não é promessa do fim de ano, quando se diz: ano que vem vai ser diferente, que vai mudar o que eu não fiz. 

banner
Anterior
Proxima

Assino meus textos como Miaka J. S. Freitas. 

Decolando no curso de Desing pela Universidade Federal do Maranhão - UFMA. Nas horas vagas procura por Um Sofá fofinho para cuidar dos blogs "Universo Atakima e "Um Sofá à Lareira". Além do canal "Insônia Nerd", aonde perde o sonho com as melhores obras desse universo. 
Estou tentando encontrar o meu próprio espaço para ouvirem minhas ideias e pensamentos meio que "insano" as vezes...
E por ai pela internet afora ainda pode encontrar outros lugares por onde anda meus textos!!

0 recadinhos:


Quer comentar e não tem conta?!
1- escolha a opção Nome/URL
2 - No espaço Nome coloque seu nome ou seu apelido
3 - No espaço URL coloque o link do seu site, blog, vlog, tumblr... (não é obrigatório).

Sejam sempre bem vindos a deixarem comentários, criticas e sugestões. Eles são muito importante para meu caminho como escritora. Com eles poderei saber o se o caminho que estou trilhando esta certo ou se precisa de mudanças. Obrigada por visitar e comentar.

Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.